Destaques

Corte em orçamento do MCTI preocupa institutos de pesquisa

O principal motivo, segundo seus representantes, foi o corte sofrido no orçamento da pasta, necessário para o fomento a projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D), que poderão ficar parados por muito tempo

Com a mudança este ano na chefia do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), os institutos de pesquisa do País aguardam ansiosos quais políticas o novo ministro, Aldo Rebelo, irá implementar. O principal motivo, segundo seus representantes, foi o corte sofrido no orçamento da pasta, necessário para o fomento a projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D), que poderão ficar parados por muito tempo.

De acordo com o executivo de Desenvolvimento de Negócios e Relações Institucionais do Instituto Eldorado, Paulo Ivo, a grande prioridade para todos os institutos é saber como ficarão os recursos provenientes da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A entidade é a principal investidora do setor, mas ficou ameaçada pelo corte, na avaliação do profissional.

“Sabemos que o governo federal cortou R$ 1,5 bilhão de investimento do MCTI, e isso implica no investimento da Finep. Para os institutos privados e públicos, os projetos de fomento serão afetados, isso é fato”, afirmou Paulo Ivo, que também é vice-presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (ABIPTI) pela região Sudeste.

Para ele, o momento agora é de esperar o passo dado pelo governo. “Fica uma angustia inicial em saber quais serão as mudanças que terão no MCTI com o novo ministro. Mas o grande ponto é se ele vai dar continuidade às políticas atuais e se os novos secretários que vão assumir continuarão com os trabalhos, porque isso pode impactar profundamente os investimentos em P&D no País no ano de 2015”, ressaltou.

Por hora, devido ao corte feito pelo governo, Paulo Ivo acredita que os institutos terão que se esforçar ainda mais para angariar recursos do setor produtivo. “Agora, mais do que nunca, teremos que correr atrás do mercado para buscar projetos, porque acredito que o fomento vai ter uma retração maior que do ano passado, com esse corte do orçamento”.

Promessa

Durante sua posse no início deste mês, o ministro Aldo Rebelo declarou que pretende recompor e ampliar os investimentos na expansão do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI) e fortalecer a atuação tanto do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) como da Finep.

Fonte: Gestão C&T

Próximos Eventos