+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

Berzoini escolhe Jorge Bittar para a presidência da Telebras

O PT do Rio de Janeiro conseguiu emplacar no Governo Dilma um presidente de estatal. O ex-deputado Jorge Bittar (RJ) foi escolhido pelo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, para assumir a presidência da Telebras, empresa, aliás, que o ministro tem dito, reiteradas vezes, que será importante na condução do processo de expansão da banda larga, como quer a presidenta Dilma Rousseff.

Com um passivo registrado no balanço de 2014, no montante de R$ 117 milhões, a Telebras terá que mostrar fôlego para se manter no mercado de infraestrutura de redes de telecomunicações. Essa será a principal missão de Jorge Bittar, tão logo seja formalizado no cargo pelos acionistas em Assembleia Geral, provavelmente a do próximo dia 24 de abril.

Uma das prioridades será incrementar novos contratos comerciais da empresa com provedores e empresas de telefonia, que continuam com baixo rendimento nas demonstrações financeiras do ano passado. Apesar de o antecessor, Caio Bonilha, ter assumido a estatal afirmando que gerenciaria uma “Telebras comercial”, em quatro anos de operações, a empresa contabiliza apenas 183, relativos a 30 Gbps de banda ativada.

Além desse problema, o futuro presidente da Telebras terá de procurar recursos num governo que estabeleceu como meta principal o enxugamento de custos. Está nos planos da estatal ativar mais 8 mil km de fibras ópticas em 2015. Mas, até aqu,i o Orçamento só prevê recursos para compromissos já assumidos – dos R$ 1,2 bilhão previstos, R$ 700 milhões são para o satélite geoestacionário e o restante para o cabo submarino até a Europa.

“Há previsão de recursos, sujeitos a eventuais contingenciamentos, mas temos compromissos assumidos anteriormente, como o cabo submarino e o satélite, que têm que ser honrados este ano e no próximo”, disse Ricardo Berzoini, há três semanas, sobre os planos para 2015. Embora tenha insistido que até maio o governo terá estruturado um novo plano de massificação do acesso à Internet no país, o ministro lamentou as “restrições orçamentárias” que já atingiram as metas.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos