Destaques

Após protestos, Uerj antecipa recesso de fim de ano por falta de verba

Após protestos por falta de pagamento realizados por funcionários terceirizados que cuidavam da limpeza da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), o reitor da universidade, Ricardo de Castro, decidiu antecipar o recesso de fim de ano “para impedir riscos desnecessários à integridade da instituição”, segundo informou em nota oficial divulgada nesta quinta (18).

Os funcionários da limpeza, que afirmam não receber salários desde outubro, protestaram na terça-feira (16) e, na quarta (17), espalharam lixo na entrada do campus principal, que fica no bairro do Maracanã, na zona norte do Rio.

Após o incidente, Castro decidiu antecipar o recesso e publicou uma nota oficial no site da universidade, na qual afirmava que o déficit já se encontra em aproximadamente R$ 23 milhões, o que “impede a Uerj de honrar vários compromissos, em especial com empresas terceirizadas de serviços (limpeza, segurança, e outros)”.

Castro relaciona esse déficit no orçamento ao fato do Estado do Rio ter perdido dinheiro com a divisão dos royalties do petróleo. O reitor ressalta, ainda, que não há como resolver o problema na administração de forma urgente.

Na tarde desta quinta, a nota original do reitor foi substituída por outra, assinada por ele e pelo secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Alexandre VIeira, na qual eles afirmam que “a empresa responsável pela limpeza teve parte de seu débito regularizado e assumiu o compromisso de efetuar imediatamente o pagamento do salário de seus funcionários”.

Também acusam a empresa de interromper “intempestivamente os serviços sem qualquer espécie de comunicação formal à Uerj”, e afirmam que ela será “acionada judicialmente pela universidade”.

“Afirmamos que, em curto prazo, teremos esta situação conjuntural e extemporânea resolvida”, diz outro trecho da nota.

Por enquanto, somente os setores chamados imprescindíveis para a universidade, como a administração central, continuarão a funcionar até o próximo dia 22 – data que era prevista no calendário acadêmico para o recesso geral. A reitoria afirmou, ainda, que não há data para o retorno das atividades acadêmicas e que não há previsão para as atividades de limpeza serem normalizadas.

Fonte: Folha de São Paulo

Próximos Eventos