Destaques

Acordo entre Brasil e França prevê projeto de computação de alto desempenho

Os governos do Brasil e da França firmaram hoje (12) uma série de acordos de cooperação sobre vários temas, como agricultura, educação, saúde e tecnologia. Um deles prevê a implantação de um projeto de computação de alto desempenho.

De acordo com a presidente Dilma Rousseff, o plano de trabalho pactuado prevê a aquisição de um supercomputador, a instalação de dois centros de pesquisa –um em Petrópolis (RJ) e outro na capital fluminense– e a transferência de tecnologia para produção nacional dos sistemas de supercomputação para apoiar a pesquisa científica e a inovação.

Pedro Ladeira/Folhapress
Dilma e Hollande no Palácio do Planalto nesta quinta (12)
Dilma e Hollande no Palácio do Planalto nesta quinta (12)

“Atualmente, apenas dez países detêm capacidade instalada nesse campo. Com a implementação desse plano de trabalho, o Brasil vai entrar para esse restrito grupo e vai desenvolver atividades de pesquisa em áreas estratégicas”, disse.

Em declaração à imprensa, após reunir-se com o presidente francês, François Hollande, Dilma ressaltou a intensificação das relações de comércio entre os países que, segundo ela, “cresceram expressivamente nos últimos cinco anos apesar da crise financeira internacional”. A presidente também defendeu maior integração entre os blocos econômicos Mercosul e União Europeia. “Reiterei o interesse do Brasil no avanço das negociações Mercosul-União Europeia com vistas à obtenção de um acordo mutuamente vantajoso”, disse.

Dilma Rousseff também destacou a importância da parceria estabelecida por meio do Programa Ciência sem Fronteiras. Ela lembrou que o país europeu é o terceiro principal destino dos estudantes brasileiros que fazem partem da iniciativa, já tendo recebido 4.800 bolsistas enviados pelo Brasil, principalmente estudantes de engenharia.

Ao falar à imprensa, Hollande ressaltou que sua vinda ao Brasil ocorre em retribuição à visita que Dilma fez à França em dezembro de 2012, ano em que o comércio bilateral atingiu US$ 10 bilhões, com déficit para o Brasil de US$ 1,8 bilhão. A França é o sexto investidor no Brasil e empresas francesas estão presentes em importantes projetos estratégicos e de infraestrutura, como o Campo de Libra e a Hidrelétrica de Jirau. Os países mantêm parceria estratégica desde 2006.

Fonte: Jornal Folha de São Paulo

Próximos Eventos