Destaques

5 revistas brasileiras são acusadas de trapacear em citações

Quatro revistas brasileiras de medicina e uma de zootecnia foram suprimidas do Journal Citation Reports (JCR), índice internacional de publicações científicas. Elas são acusadas de usar truques para elevar, de forma irregular, o número de citações dos artigos publicados.

As publicações excluídas são “Clinics”, da Faculdade de Medicina da USP, “Jornal Brasileiro de Pneumologia”, “Revista da Associação Médica Brasileira”, “Acta Ortopédica Brasileira” e “Revista Brasileira de Zootecnia”.

O JCR é produzido anualmente pela Thomson Reuters e é parte do portal Web of Knowledge, de acesso restrito a pesquisadores. O catálogo lista 11 mil publicações científicas de 83 países, incluindo dezenas de revistas brasileiras, junto com dados estatísticos sobre elas.

Um dos dados mais importantes é o número de vezes que os artigos publicados são citados por outras revistas. Essa informação é expressa de várias maneiras, incluindo o chamado fator de impacto, que mede o número médio de citações por artigo.

Quanto mais alto é o fator de impacto, mais prestígio tem aquela revista ou jornal no meio científico. As cinco revistas brasileiras fazem parte de uma lista de dezenas de títulos que foram excluídos da edição deste ano. Eles são acusados de elevar o número de citações de forma desleal.

“Encontramos, nos títulos suprimidos, padrões anômalos de citações que resultam em distorção significativa do fator de impacto. Assim, o ranking não refletiria o desempenho dessas publicações em citações de forma precisa”, diz um texto explicativo da Thomson Reuters.

Em outro documento, a empresa descreve os critérios para a eliminação de publicações do catálogo. As situações que podem levar a essa exclusão são duas. A primeira é a autocitação excessiva, quando artigos fazem referências demais a outros artigos da mesma revista.

A segunda é quando uma publicação tem um elevado percentual de citações vindo de uma mesma revista. A situação se agrava quando essa outra revista também recebe muitas citações da publicação suspeita.

Na visão dos editores do JCR, o número elevado de citações mútuas seria um indício de que as publicações estariam trabalhando juntas de forma desleal para elevar o número de citações de ambas.

Para Olavo Pires de Camargo, editor-chefe da Acta Ortopédica Brasileira, houve exagero dos editores do JCR. “Só há duas revistas de ortopedia no Brasil, a nossa e a Revista Brasileira de Ortopedia. Quando publicamos um artigo de revisão, as citações tendem a se concentrar nessas duas. Foi isso que incomodou o pessoal do JCR”, disse ele a EXAME.com.

“A suspensão aconteceu por causa de um único artigo. Ela não tem muita importância para nós. Mas vamos enviar uma retratação ao pessoal do JCR. No ano que vem estaremos de volta à lista”, completa Camargo.

EXAME.com tentou entrar em contato com as demais publicações afetadas mas ainda não obteve resposta. Quando tivermos outras informações, vamos atualizar este texto.

Fonte: Exame

Próximos Eventos