+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

5 barreiras tecnológicas que atrapalham processos seletivos

Em uma época em que todos os processos de recrutamento nas empresas são praticamente automatizados, a tecnologia é uma das formas mais eficientes usadas para que as empresas possam ter um banco de dados de candidatos talentosos para novas contratações.

Currículos em papel são substituídos por formulários personalizados para cada vaga e recrutadores podem avaliar os profissionais remotamente por meio de avaliações e questionários online.

No entanto, a falta de humanização nesses processos seletivos pode acabar prejudicando todo o investimento de tempo e dinheiro que os empregadores gastam devido à tecnologia – ou à falta dela.

Questionários longos, falta de comunicação e de versões de sistemas otimizados para dispositivos móveis são alguns dos fatores que podem afastar um possível talento de uma oportunidade de emprego.

Um estudo realizado pelo CareerBuilder nos Estados Unidos revela as principais barreiras relacionadas à tecnologia que podem estar prejudicando as empresas na retenção de talentos e, consequentemente, a experiência de seus candidatos em processos seletivos.

A pesquisa faz parte de um estudo maior, chamado “Como a experiência do candidato está transformando a tecnologia nos Recursos Humanos”, conduzido pela Harris Poll a pedido do CareerBuilder.

Durante as pesquisas, foram entrevistados 374 profissionais de RH e 319 candidatos entre os meses de junho e julho de 2014.

Como resultado, foram identificados cinco obstáculos que podem afastar talentos de uma oportunidade de emprego:

1. Falha na captação de candidatos interessados

Nem todo candidato tem tempo de se inscrever no processo seletivo logo na primeira vez que fica sabendo de uma oportunidade.

Segundo a pesquisa, 39% dos entrevistados acham importante que os recrutadores ofereçam a possibilidade de o candidato deixar suas informações de contato para se inscrever depois.

No entanto, mais da metade dos empregadores afirmaram não usar nenhuma ferramenta para captar candidatos que não se inscreveram para uma vaga, algo que reduz as chances de a companhia captar mais talentos para sua equipe.

Apenas 23% dos profissionais de recursos humanos afirmaram usar uma versão reduzida do formulário de inscrição para reunir informações sobre os candidatos.

2. Deixar de manter relacionamento com os candidatos

Outro desafio enfrentado pelos recrutadores é manter contato com os candidatos que não foram contratados para uma vaga, mas que têm perfil para futuras oportunidades.

Apesar de 42% dos candidatos afirmarem que gostariam de receber e-mails com novas oportunidades nas companhias, apenas 38% deles afirmaram que voltam a falar com esses profissionais a cada seis meses ou com mais frequência.

36% dos recrutadores afirmaram não entrar em contato com profissionais de processos anteriores, geralmente porque usavam os currículos mais recentes (69%) ou porque não tinham tempo de fazê-lo (28%).

3. Respostas automáticas

Embora o recurso para criar respostas automáticas seja muito útil para manter os candidatos atualizados sobre um processo seletivo, muitos profissionais sentem que esse tipo de abordagem não é o suficiente.

De acordo com a pesquisa, 62% dos candidatos afirmaram que esperam receber comunicados mais personalizados, enquanto 67% dizem que esperam telefonemas dos recrutadores depois de se apresentarem para a vaga.

4. Limitar as inscrições ao computador

Com a evolução contínua nas tecnologias móveis, muitos profissionais esperam poder se candidatar a uma vaga diretamente por seus smartphones.

Porém, 46% dos recrutadores entrevistados não oferecem a opção de acessar seus formulários de inscrição em um dispositivo móvel devido a falta de recursos ou questões técnicas.

Além disso, apesar de 33% dos empregadores perceberem uma queda maior no número de candidatos devido à falta de uma ferramenta para dispositivos móveis, 24% deles não acreditam que esse recurso deva ser considerado como parte da experiência com o candidato – o que significa uma grande perda para estas companhias porque 65% dos candidatos raramente voltam ao computador para terminar a inscrição quando não conseguem acessar o sistema pelo celular.

5. Formulários de inscrição complexos e longos

Ter um processo seletivo complexo pode significar um melhor filtro na hora de escolher um candidato mais capacitado para a vaga. No entanto, até mesmo os profissionais mais talentosos podem não ter disposição para preencher formulários de inscrição com várias páginas.

Segundo o estudo, 53% dos recrutadores acreditam que um processo longo é bom para eliminar candidatos menos engajados ou menos qualificados para a vaga.

Em contrapartida, 60% dos candidatos afirmaram já ter deixado de terminar uma aplicação devido à sua forma complexa e ao longo tempo que teriam que dedicar ao formulário e 29% acreditam que um processo de inscrição deve levar no máximo 10 minutos ou menos para ser preenchido.

Além disso, 37% dos recrutadores disseram que eles geralmente fazem mais de 15 perguntas no processo de inscrição, enquanto metade (51%) das pessoas que buscam emprego acredita que o formulário não deveria trazer mais do que 10 questões.

Fonte: Exame

Próximos Eventos